Depressão em cães, o que fazer?

por

Há quem ache mentira, mas os animais apresentam sim doenças mentais, como ansiedade e depressão. E elas são motivadas e se manifestam de forma muito parecida como acontece com nós, humanos. A depressão em cães é uma doença silenciosa e exige muita atenção para ser identificada e tratada o quanto antes para que seu bichinho não sofra. Depressão em cães, o que fazer?

Depressão em cães, o que fazer?

Da mesma forma que o homem pode ter problemas psicológicos, como a depressão, os cães também podem. A depressão em cães vem sendo cada vez mais freqüente e geralmente é resultado de uma mudança de rotina, como a perda de um companheiro, a mudança de casa ou até mesmo um novo animal na casa. É importante saber o que é a depressão canina para não confundí-la com outra doença.

Os cães podem apresentar um estado emocional mais vulnerável e sensível a perdas e traumas. Não há raças que possuem mais chances de desenvolver a depressão.

Quais são as causas?

As causas para a depressão canina são diversas e variam muito, pois são de acordo com os sentimentos de cada cachorro, mas podemos citar algumas das causas principais e que são as mais comuns entre os cães:

A morte de uma pessoa próxima ou de outro animal que convivia com ele.

O contrário também pode ser motivo: a chegada de um novo membro na família (como um bebê ou outro animalzinho).

Mudança de ambiente. Principalmente se for de uma casa maior para uma menor, diminuindo o espaço que o cachorrinho estava acostumado a ficar.

Se o animal ficou doente por muito tempo e tenha afetado seus hábitos e rotinas.

Mudança de rotina; se ele era acostumado a passear em uma determinada hora ou local e, por algum motivo, isso acabou mudando.

Sintomas:

Assim como nós, humanos, a depressão aparece por meio de mudanças comportamentais e de humor. A depressão em cães pode apresentar os seguintes sintomas:

Falta de apetite. O cachorrinho passa a não comer como antes e começa a perder peso.

Apatia. O bichinho passa o dia todo deitado, mostra desinteresse por brinquedos, petiscos e coisas que antes ele gostava. Os olhinhos ficam baixos e tristes.

Podem ficar resistentes ao toque, rejeitando até mesmo carinho do dono.

São mudanças drásticas no comportamento e humor do seu animalzinho, mas às vezes, uma vida muito corrida ou agitada pode fazer com que você demore a perceber que seu bichinho não está bem. Por isso dar sempre atenção e carinho ao seu pet é a melhor forma de prevenção contra essa e outras doenças.

Como tratar a depressão?

Antes de qualquer coisa, primeiro é preciso levar seu cachorro ao veterinário. Após a consulta e diagnóstico, o veterinário irá passar diferentes tipos de medicamentos e atividades que variam de acordo com o grau e a intensidade da doença.

Os remédios homeopáticos, antidepressivos e outros medicamentos alopáticos podem ser prescritos nesses casos, e a combinação desses medicamentos, com atividades físicas, trará ótimos resultados.

Um cantinho só deles:

É importante também que ele tenha um espaço apenas dele.  Onde ele tenha os seus próprios objetos e possa ficar tranqüilo. Se o motivo da depressão for um novo morador na casa, um espaço apenas dele é ainda mais importante. Ter que dividir seus brinquedos com um animalzinho novo pode ser ainda mais difícil para um cão com depressão.

Para ajudar o seu companheiro a ter um local apenas dele, onde ele possa se sentir confortável, a Papel de Bicho desenvolveu uma linha de produtos ecológicos, coloridos e práticos que podem ser facilmente transportados. Além de que, o seu animalzinho pode brincar, morder e arranhar eles, se sentir bem e tranqüilo.

Amor e carinho:

Vale lembrar que o principal é sempre dar atenção e amor ao seu animalzinho. Com muito carinho e atenção, o quadro depressivo pode ser amenizado!

Todos os produtos da Papel de Bicho estão disponíveis para venda diretamente no nosso site clicando aqui

Gostou do post? Curta, comente, compartilhe! Sua sugestão é muito bem vinda!

Você pode gostar também

/* */